Reprodução

 

Na natureza, o habitat natural dos camar√Ķes √© principalmente localizado em regi√Ķes montanhosas, composto por pequenos riachos com √°gua muito pura e oxigenada de temperatura amena.

A reprodução nestes locais ocorre em épocas de chuva.

Esta precipita√ß√£o gera altera√ß√Ķes dos par√Ęmetros da √°gua do rio em que a mineraliza√ß√£o desce e promove uma ecdise em todos os camar√Ķes.¬†

Aliando-se a uma alta disponibilidade de alimento nessa altura do ano, contribuindo na formação da sela e incentivando à reprodução.

Os camar√Ķes atingem a sua maturidade sexual entre 4 a 6 meses e come√ßam a procriar, antes √© extremamente dif√≠cil identificar o g√©nero.¬†

 

 

H√° v√°rias formas de distinguir as f√™meas, a mais f√°cil √© quando j√° s√£o adultas pela presen√ßa da sela, uma mancha amarela/castanha na regi√£o superior entre a carapa√ßa e o dorso. Por vezes a opacidade de cor do camar√£o n√£o permite ver a sela no interior, ent√£o a forma de distinguir √© pela curvatura inferior do corpo, conhecida como saia.

Os machos t√™m tend√™ncia a ter uma saia lisa, formando uma linha quase reta da cabe√ßa √† cauda, enquanto que as f√™meas tendem a ter uma saia arredondada de forma a proteger os ovos que ficam guardados entre os pleopodes, as “patas” posteriores. 

Distinguir o sexo pelas antenas é possível (mas mais complexo), pois o macho tem as duas antenas frontais superiores 1/3 mais compridas que as das fêmeas, esta diferença é a primeira a notar-se quando o camarão ainda é juvenil (sempre que as mantenham intactas).

*Nos Sulawesi √© extremamente dif√≠cil diferenciar, uma vez que s√£o muito similares, sendo que as f√™meas tendem a ser ligeiramente maiores quando adultas.

As Neocaridinas e as Caridinas n√£o se reproduzem entre elas, sendo esp√©cies diferentes, apesar de algumas terem diferen√ßa de par√Ęmetros, √© poss√≠vel manter sem o risco de cruzarem entre si e estragarem a linhagem. S√£o esp√©cies diferentes e o seu √≥rg√£o reprodutor n√£o √© compat√≠vel.
O cruzamento de diferentes esp√©cies de Neocaridinas pode ocorrer, mas n√£o √© recomendado devido a terem recess√£o a wild, resumidamente ap√≥s alguma(s) gera√ß√Ķes √© poss√≠vel perder a cor e intensidade dos camar√Ķes at√© ficarem mesmo transparentes.

O cruzamento entre caridinas de espécies diferentes pode ocorrer, contudo irá resultar com perda das características definidas de cada espécie, assim como a pureza das mesmas. 

Quando as f√™meas t√™m ‚Äúsela‚ÄĚ podem ser fecundadas logo ap√≥s a ecdise.

Apenas quando este processo acontece é possível aos machos efetuar a cópula que permite deixar o esperma no exoesqueleto.

Posteriormente os ovos existentes na sela saem para a bolsa sob o abdómen e durante este processo passam por dentro do exoesqueleto onde são fertilizados pelo esperma previamente depositado pelo macho.

A f√™mea mantem os ovos na saia durante 20 a 30 dias at√© eclodirem, dependendo da esp√©cie. Se eventualmente perder alguns ovos poder√° dever-se a in√ļmeros fatores, tais como serem jovens e inexperientes ou stress. Se perderem todos os ovos pode estar relacionado com algum doen√ßa ou bem-estar do camar√£o no aqu√°rio.¬†¬†¬†

O nascimento ocorre atrav√©s de uma eclos√£o extremamente r√°pida e dif√≠cil de observar, o camar√£o beb√© ‚Äúsalta‚ÄĚ para fora do ovo em menos de um segundo e vai agarrar-se √† primeira coisa que encontrar. Durante este processo as f√™meas tendem a procurar s√≠tios mais resguardados para maior tranquilidade.

Na infelicidade de alguma fêmea morrer com ovos já fecundados é possível salvar alguns ou todos apesar da sua complexidade.

Para tal devem ser retirados da fêmea com muito cuidado para não os magoar (este é o processo mais difícil devido ao risco de danificar os ovos).

Após todos separados, pode ser usada uma seringa e com cuidado libertá-los numa incubadora ou algo DIY de funcionamento similar, que simule os movimentos efetuados pelas patas traseiras da fêmea.

Sempre que estes tenham ficado em boas condi√ß√Ķes e n√£o tenha passado muito tempo ap√≥s a morte da f√™mea, √© poss√≠vel observar os beb√©s j√° nascidos na incubadora, devendo ser libertados no aqu√°rio para que se alimentem.¬†

A introdução de comida baby (em pó) é favorável à sua sobrevivência, desenvolvimento e crescimento saudável.

BACK TO TOP
0
    0
    item(s)